Cortejo Abre Alas sai às ruas de Petrolina (PE) avisando o começo do 12º Aldeia do Velho Chico

As ruas do centro de Petrolina serão tomadas por várias expressões artísticas nessa sexta-feira (5). Já tradicional, o cortejo ‘Abre Alas Pro Velho Chico’ começa às 14h, no Sesc Petrolina, com os painéis ‘Visualidades do Aldeia’, ‘Instantâneo’ e uma mostra das oficinas de artes. Mas, é com a chegada das orquestras de frevo, fanfarras, axé e as quadrilhas juninas que o recado será dado: começou a 12ª edição do Festival de Artes do Vale do São Francisco.

Os grupos artísticos se concentrarão na rua Pacífico da Luz, a partir das 16h, de onde sairão pelas avenidas Fernando Góes, Souza Filho, Guararapes até chegar na Orla. O Sesc Petrolina se reafirma como um dos maiores promotores da cultura na região e traz para o público a orquestra de frevo A Rebarba, Frevuca, Afoxé Filhos de Zaze, Baque Opará, além da Capoeira Brasil e Vivência de Angola. Em seguida, já no palco da Porta do Rio, os movimentos da música popular, da dança e do batuque farão parte das performances do Reisado da Comunidade Quilombola do Lambedor (de Lagoa Grande-PE); do Samba de Véio, da Ilha do Massangano; e do Samba de Coco Trupé, da cidade de Arcoverde-PE. A noite se completa, a partir das 21h, com o cantor e sanfoneiro Silas França, fazendo o show de encerramento do primeiro dia oficial de apresentações musicais do Aldeia do Velho Chico em Petrolina.

Sábado

O Festival de Artes continua no sábado (6), logo pela manhã. Às 9h, o ‘Contato Sonoro’, de Flavia Pinheiro, sai pelas ruas da cidade intervindo no cotidiano através da interação com os transeuntes. Mais tarde, às 16h, o Mercado Cultural do Sesc Petrolina será o lugar certo para os visitantes do Aldeia encontrarem vários produtos artísticos, de vestuário a bancas de alimentação. A programação segue com a palestra de Eduardo Saron, do Itaú Cultural de São Paulo; com a Degustação Literária, que aprecia novas formas no uso das palavras; e com o espetáculo ‘Sebastiana e Severina’, do Teatro Kamikase (Olinda, PE), apresentado no Palco Alternativo. A mostra de artes visuais ‘Tábua de Marés’, de André Vitor Brandão; o lançamento do livro de mesmo nome, da atriz e professora Cátia Cardoso; as apresentações teatrais ‘Amaranta – A atriz que vai e Vem!’ e ‘Cabaré de Palhaços’; além dos shows do grupo Secabudega e da cantora Rita Benneditto, completam a grade de atrações do dia
.

Domingo

No domingo (7), o festival vai ocupar vários espaços da cidade. Às 10h, a exposição ‘Mostra Flutuante de Artes Visuais’ sai de barco da Porta do Rio e desce o Velho Chico, navegando numa mistura de arte e paisagem. A mostra também será apresentada à comunidade da Ilha do Massangano, que, às 15h, veleja com a exposição. A partir das 16h, o Aldeia desembarca de vez na ilha com a ‘Banquinha de Contos’, levando às crianças um mundo de literatura. No mesmo horário, a artista Flávia Pinheiro apresenta nas ruas da comunidade as sutilezas do ‘Contato Sonoro’. Às 16h30, a Ilha do Massangano se torna cenário para o espetáculo ‘Sebastiana e Severina’, onde, às 18h, também será local de apresentação de ‘Eu Vim da Ilha’, uma homenagem da Cia. de Dança do Sesc às pessoas do povoado.

O público ainda terá acesso, a partir das 18h40, ao documentário ‘Discografia. Brasil Profundo. Petrolina’; além de assistir, às 19h20, ao ‘Coco do Tebei’, num show de música e dança que valoriza a cultura de Tacaratu (PE). Em seguida, às 20h, o Samba de Coco Trupé e, depois, o Samba de Véio encerrando a programação na ilha. Enquanto isso, no Teatro Dona Amélia (Sesc Petrolina), o TPA - Teatro Popular de Arte vai encenar uma peça de Ariano Suassuna, ‘O Santo e a Porca’, e uma hora depois, no Palco Alternativo, a cia de dança ‘Qualquer um dos 2’ apresenta o espetáculo ‘Humano’.

                                    Aldeia do Velho Chico

Já na 12ª edição, o Festival de Artes do Vale do São Francisco, promovido pelo Serviço Social do Comércio (Sesc Petrolina), é um dos maiores eventos culturais de Petrolina, Lagoa Grande e região. Com modalidades de dança, música, teatro, literatura, artes visuais e o audiovisual, o Aldeia do Velho Chico traz para as duas cidades, cerca de mil artistas locais e nacionais, que compõe cerca de 100 tipos de atrações. Para 2016, a organização espera uma movimentação de 70 mil pessoas por todo o evento, que vai até dia 20 de agosto.
Mais informações sobre toda a programação do Festival das Artes podem ser obtidas pelos telefones (87) 3866-7450 e (87) 3866-7474, ou no site: www.sesc-pe.com.br.

Feito por: Bruno Alexandre Web -