JOVENS CONSERVADORES LIMPAM PATRIMÔNIO PÚBLICO EM PETROLINA,Confira


 Aconteceu no dia de ontem (05/10/2016) às dez da manhã, uma ação para a limpeza do muro do Colégio Otacílio Nunes no bairro da Areia Branca em Petrolina.

Jovens do CFC – Curso de Formação Conservadora do Vale do São Francisco e do Projeto: Elo Vida estiveram no local em que pichações com dizeres “revolucionários” encontravam-se maculando a estética, sujando e depredando patrimônios públicos ao arrepio da Lei, limpando a pichação com o apoio da direção da escola e dos moradores indignados com a ação danosa praticada por elementos de grupos de desordeiros criminosos que assinam como: MFP / MEPR (movimento estudantil popular revolucionário).

Everaldo de Almeida, estudante do curso de Letras, um dos coordenadores do CFC e do Projeto: Elo Vida afirmou: “identificamos essa pichação, entramos em contato com a direção da escola que prontamente liberou a autorização para que pudéssemos limpar o muro do Otacílio Nunes. Fomos parabenizados pela população pelo caráter restaurador da iniciativa”.

Com fulcro na Lei Nº 12.408 de 25 de Maio de 2011, no seu art. 6º, altera a redação do art. 65 da Lei nº 9.605, de 12 de Fevereiro de 2008, que passa a vigorar com a seguinte redação: Art. 65. PICHAR OU POR OUTRO MEIO CONSPURCAR EDIFICAÇÃO OU MONUMENTO URBANO: Pena – detenção, de 3 (três) meses a 1 (um) ano, e multa. É o que comenta a estudante de direito e coordenadora do Projeto: Elo Vida, Edien Jauz: “nós estamos aqui num ato de amor a cidade, ao patrimônio público e aos valores expressos na nossa Carta Constitucional. Grupos aquartelados dentro das universidades que supostamente dizem defender a democracia são na verdade responsáveis por atitudes criminosas como essa que estamos limpando hoje. Que democracia é essa em que grupos “revolucionários” maculam regras explícitas do Código Penal vigente no país e não acontece nada? Creio que devemos fazer uma campanha para que a Lei penal seja cumprida e que esses socialistas sejam punidos na forma da Lei”.

Grupos como esse autodenominado MEPR (movimento estudantil popular revolucionário), campeiam livremente em nossas faculdades e pasmem, na sociedade. São protegidos por diretores, reitores, professores e políticos servindo como ferramenta para a propagação de ideias marxistas-leninistas-trotskystas-socialistas-comunistas. Defendem abertamente o aborto, a liberação das drogas, a destruição da família judaico-cristã, o casamento e a adoção por pessoas do mesmo sexo, a mudança de sexo para menores de 6 anos sem o consentimento dos pais, a extinção e criminalização das forças armadas dentre outras reformas defendidas por esses agentes totalitários para o povo brasileiro.

O graduando do curso de História Tarcio Gabriel relata que foi ameaçado por elementos desse grupo na instituição em que estuda: “antes de qualquer coisa eu quero afirmar que essa ação de limpeza nessa escola é fruto de pessoas de bem. As pessoas que passam perguntam o que estamos fazendo ali pintando o muro e eu respondo que estamos restaurando esse patrimônio público que foi depredado, pichado por um grupo chamado MEPR. Veja! São os estudantes que compões as universidades públicas pagas com impostos recolhidos dos cidadãos que vem fazer isso daqui. Essas são pessoas de bem? Essa ação restauradora que estamos fazendo aqui não se dá por mero acaso. O Conservadorismo consiste na restauração. Eu fui ameaçado e protocolei junto ao Ministério Público uma denúncia contra a instituição em que estudo pensando em me defender contra agressões que já vinham sendo prometidas e para minha surpresa, fui acintosamente ameaçado por elementos desse grupo e não restou outra alternativa a não ser prestar uma queixa na delegacia. São esses meliantes que depredam, ameaçam e tentam destruir a sociedade sã como conhecemos”. Conclui o graduando.

O CFC – Curso de Formação Conservadora e o Projeto: Elo Vida vem através de seus coordenadores Frederico Pontes e Suellany Rodrigues informar que outras ações como essas vão acontecer a qualquer momento tanto em Petrolina quanto em Juazeiro.



Feito por: Bruno Alexandre Web -