Coreia do Norte tortura, queima, crucifica e esmaga cristãos.Confira

Segundo relatório da Christian Solidarity Worldwide (CSW), a ditadura comunista comandada por Kim Jong-um tem promovido estupros, torturas, trabalho forçado e execução de cristãos por causa da sua fé. A Coreia do Norte vem sendo acusada pela Organização das Nações Unidas (ONU) de violar o Pacto Internacional sobre Direitos Civis e Políticos.

No relatório da CSW, uma ONG inglesa que luta pela liberdade de expressão e crença, a Coreia do Norte é apontada como um regime que não permite a liberdade de religião ou crença, tão pouco a livre manifestação de pensamentos.

“As crenças religiosas são vistas como uma ameaça à fidelidade exigida pelo Líder Supremo, então qualquer pessoa que mantenha a fé acaba sendo severamente perseguida”, diz trecho do documento.

O relatório aponta que o regime de Kim Jong-um promove todo o tipo de atrocidade contra os cristãos, incluindo crucificação, execução em fogueiras, esmagamento por meio de rolo compressor, como também pisoteados até a morte e jogados de pontes.

A ONG também acusa o regime de promover crimes contra os direitos ao promover “execuções sem julgamento, extermínio, trabalho escravo, desapropriações forçada, prisões arbitrárias, torturas, perseguição, sequestros, estrupo e violência sexual”, entre outros atos.

No relatório a CSW aponta a prática de “culpa por associação”, que promove a prisão de parentes de cristãos, ainda que não confessem a fé, por ter laços parentais com aqueles que foram condenados por conta da fé.

Além dos cristãos, Budistas e Cheonistas [crença coreana] também sofrem perseguição por parte do regime comunista, sendo tratados como inimigos da revolução. O regime acusa os religiosos de fazer parte de uma conspiração contra Kim Jong-um.
.

A organização pede em nota que a comunidade internacional apoie o pedido de julgamento da Coreia do Norte no Tribunal Penal Internacional, onde poderia ser envesgada as acusações de violações de direitos humanos por parte do regime.

ESCRAVOS MODERNOS

O regime norte-coreano já foi acusado pela ONU de violar o Pacto Internacional sobre Direitos Civis e Políticos, que proíbe o trabalho forçado. A Coreia do Norte faz parte deste pacto, mas tem sido acusada de violá-lo ao driblar as sanções econômicas impostas pela comunidade internacional promovendo a exportação de trabalhadores em condições análogas à escravidão.

Em um relatório recente da ONU para o regime, foi constatado que dezenas de milhares de norte-coreanos estão sendo enviados a outros países para trabalhar. O relator da ONU informou que os trabalhadores são forçados a trabalhar 20 horas por dia, sem comida suficiente e sob vigilância.

(http://noticias.revivaltimes.com.br/)
Feito por: Bruno Alexandre Web -