De mulher para mulher: Jurista se emociona ao defender o impeachment

APÓS O IMPEACHMENT, A JURISTA DISSE QUE QUER VOLTAR AO ANONIMATO.

A jurista Janaína Paschoal, autora do pedido de impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff, fez um discurso contundente na manhã desta terça-feira (30), abrindo o último dia de debates do processo. Ao fim, Janaína se emocionou ao pedir desculpas a Dilma, “pois sei que lhe causei sofrimento, embora não fosse esse o objetivo”. A voz embargou quando Janaína explicou que fez o pedido ao pensar, também, nos netos de Dilma e por um país melhor.Antes, ao abrir o discurso de acusação, a jurista informou o motivo de ter escrito o processo. “Eu pensei muito antes disso e senti por ser uma mulher pedindo o impedimento da primeira mulher presidente do país, mas conclui: ninguém pode ser perseguido por ser mulher. Mas também ninguém pode ser protegido por ser mulher”, declarou.
Entrando nos termos técnicos, a especialista explicou as pedaladas fiscais. “Crédito suplementar é usar o dinheiro de outro. E foi isso que aconteceu”. A perícia do Senado e do Tribunal de Contas, de acordo com Janaína, reforça toda a tese da acusação.

Janaína Paschoal também atacou o PT. “Eles mentem tão bem, são tão competentes no marketing que até a gente acredita. Mas o modo PT de ser é esse: a enganação. Que não pede desculpas, nega os fatos e a realidade. Não aguentamos mais a política do marketing”, reforçou.

Sobre a expectativa da votação de amanhã dos senadores, a advogada ponde: “Não adianta ganhar (o processo). Eu quero que o povo sinta que isso aqui é necessário e não tenha o mínimo de dúvida da legitimidade”.

Os senadores assistiram atentamente ao discurso de Janaína como se fosse uma aula no plenário. A fala da jurista apareceu nos Trending Topics do Twitter como um dos assuntos mais comentados da rede social.

Fonte: AçãoPopular
Feito por: Bruno Alexandre Web -