70 Igrejas são fechadas por serem “barulhentas demais”

Lagos, na Nigéria, é a segunda maior cidade do continente africano. Com sete milhões de habitantes, vive uma era de adequações, tentando resolver os problemas da superpopulação. Uma das metas da prefeitura é torna-la uma “cidade sem ruídos” até 2020.
A decisão de fechar templos que emitem ruídos acima do permitido resultou no fechamento de 10 igrejas entre 2007 e 2009. Em 2014 chegou ao ápice do programa, ordenando que 24 congregações encerassem as atividades.
Bola Shabi, funcionário da Agência de Proteção Ambiental, explica: “Não iremos permitir mais a existência dessas igrejas improvisadas no estado”. Justifica que a maioria são prédios que nunca foram totalmente acabados ou tendas usadas para cultos e cruzadas.
O governo vem tomando medidas baseado nas queixas de vizinhos. Além de igrejas, a cidade fechou alguns hotéis, mesquitas e até clubes noturnos. O comissário para o Meio Ambiente Tunji Bellow afirmou à imprensa: “Não é certo que mesquitas e igrejas perturbem outras pessoas com o barulho de suas atividades, simplesmente porque elas estão adorando a Deus”.
Afirma ainda que, em alguns casos, na mesma rua existem quatro ou cinco igrejas fazendo cultos ao mesmo tempo. “Isto é inaceitável, não vamos tolerar”, finaliza
O atual presidente nigeriano, Muhammadu Buhari, é muçulmano. Ele vem mostrando grande complacência com as atividades do grupo extremista Boko Haram, que domina o norte do país e vem matando cristãos continuamente nos últimos anos. GospelPrime
Feito por: Bruno Alexandre Web -